Foto: Susan Goldman

O grupo irlandês U2 usou de criatividade e diplomacia.

A transmissão pela televisão do show do U2 na segunda-feira não desanimou os mais de 70 mil fãs que lotaram o Estádio do Morumbi para assistir à segunda apresentação da banda irlandesa, anteontem. Quem achava que o show seria morno justamente por causa disso, se surpreendeu com a participação do público. Mesmo sabendo do que estava pela frente, todos pularam, gritaram e cantaram. Bono, líder do U2, ainda se esforçou para que a noite se tornasse realmente especial, diferente da apresentação anterior. "Ontem tocamos para todo o Brasil. Hoje é a nossa festinha particular?, disse o vocalista, em português, para delírio dos fãs.

Apesar disso, o show foi basicamente o mesmo mostrado na noite anterior. As palavras de cunho político e social não foram deixadas de lado pelo líder do U2, a exemplo do que aconteceu no primeiro show. Até as vaias foram as mesmas, direcionadas para o presidente Lula e para a Argentina. Mas o set list sofreu algumas alterações. As canções First time, Yahweh e All I want is you foram as novidades. Bono ainda cantou Desire de improviso, quando puxou uma fã da pista para o palco. Ela se chamava Desiré e, pela semelhança do nome, Bono decidiu incluir a música Desire, somente com a base do violão tocado por The Edge. O vocalista também deu mais espaço para o público cantar sozinho os refrões mais conhecidos, diferentemente da noite anterior.

O show ainda contou com momentos emocionantes, com o coro dos espectadores durante as pausas que a banda fez durante a apresentação.

A participação de todos era constante e até mesmo surpreendeu Bono e companhia. No encerramento do show, mesmo já sabendo que era o ponto final da passagem do U2 pelo Brasil e com os músicos se despedindo, o público continuou cantando uma parte do refrão da música Vertigo. Bono, The Edge, Adam Clayton e Larry Mullen ficaram observando o estádio por alguns instantes, que não parava de dar essa reposta positiva. Foi quando The Edge e Larry pegaram o microfone e disseram "Thank You, São Paulo", uma atitude não muito comum dos dois integrantes do U2. Se tornou o final perfeito e especial para aqueles que enfrentaram enormes filas e uma grande espera para ver uma das maiores bandas do mundo.