Foto: Luiza Dantas
Edson Spinello, diretor de Bicho do Mato.

Edson Spinello costuma comparar o diretor de uma novela a um maestro. ?Ele precisa ?reger? uma equipe sem deixar ninguém sair da sintonia?, explica. Mas pelo menos alguma coisa em Bicho do Mato está fora do tom. A novela comandada por ele era a maior aposta da Record. Mas desde que estreou, em 14 de julho, não alcançou os resultados esperados. Mantém uma média de audiência de 11 pontos, bem mais baixa do que a de sua antecessora Prova de Amor, que ficava na casa dos 17. Causa ou reflexo dessa situação é que parte do elenco se mostra descontente nos últimos tempos. O fato de a protagonista da trama Renata Dominguez ser namorada do diretor e supostamente ter privilégios por isso também parece ser motivo de desavenças na equipe. Edson Spinello, no entanto, insiste que respeito aos profissionais é sua preocupação número 1. ?Nem sempre o diretor-geral consegue dar a mesma atenção a todos os envolvidos em uma produção. Mas não tenho problemas com a Renata e todos os atores são respeitados?, pondera.  

P – Com pouco mais de quatro meses de novela no ar, que balanço você faz de Bicho do Mato?

R – Eu tinha certeza, e continuo tendo, de que colocamos no ar um produto de muita qualidade, com todos os ingredientes de um excelente folhetim. A novela mantém os dois dígitos de média de audiência desde a estréia. Esse resultado registrado pelo Ibope assegura a vice-liderança no horário nobre conquistada pela Record nos últimos 10 meses. E, com o decorrer do tempo, a tendência é aumentar ainda mais os índices. Assistir à novela é um hábito.

P – Na sua opinião, há algum aspecto da direção que mereça mais cuidado e que seja mais importante para fazer com que uma trama dê certo?

R – Essa resposta varia muito de diretor para diretor. Mas gosto bastante de dirigir os atores. Acho o ensaio lado a lado no cenário fundamental. Costumo dizer que um diretor precisa ser como um maestro de uma orquestra: tem que saber reger a sinfonia sem deixar ninguém desafinar. E todos os aspectos – interpretação, figurino, dinamismo nas cenas – precisam ser considerados. Mas é necessário dizer que nem sempre ele consegue dar a mesma atenção a todos os envolvidos na produção de uma novela.

P – Essa atenção desigual não pode gerar desunião dentro da equipe?

R – Uma equipe profissional e que se respeita é fundamental para o bom andamento de qualquer trabalho, isso em qualquer área. Essa preocupação eu garanto que sempre tenho: tratar todo mundo com respeito. Disciplina também é outro fator imprescindível para mim.

P – O fato de você ser namorado da Renata Dominguez, protagonista da trama, gera alguma indisposição na equipe ou faz com que alguns atores se sintam menos prestigiados?

R – No ?set? de gravações somos profissionais. Não tenho problemas com a Renata. Ela é a primeira a chegar e sempre sabe seu texto. Todos os atores são respeitados da mesma maneira. Justamente por trabalharem com a emoção, tenho a preocupação de prezar pelo bem-estar deles. Se alguém passa por um problema pessoal, tento ajudar independentemente do que a pessoa representa para mim fora do meu ambiente de trabalho. Lembro sempre que, antes de qualquer coisa, somos todos seres humanos.

P – Muitos diretores são conhecidos pela rigidez. Para você esse é um atributo imprescindível?

R – Nem sempre. Como disse anteriormente, disciplina e respeito são muito mais importantes no meu modo de ver. Carisma e liderança são características que também contam pontos na hora de comandar uma equipe. Mas prezo e sempre vou prezar pelo respeito às pessoas com quem trabalho.