O tribunal do Estado de Chihuahua (norte) encarregado do caso de Gloria Trevi ainda não recebeu nenhuma notificação de habeas corpus, e a cantora vai continuar na prisão, confirmou ontem uma porta-voz judicial. Gloria Trevi, acusada de violação, corrupção de menores e rapto, está presa por decisão do juiz desde 24 de dezembro. A sentença pode demorar um ano, segundo a Constituição, afirmou a porta-voz.