Os principais autores paranaenses se reunirão a partir de amanhã para debater como a leitura pode se adaptar à vida moderna, cercada de tecnologia. Mesas redondas, conferências, palestras, eventos infantis para escolas e uma extensa feira de livros serão realizados simultaneamente em todas as cidades que possuem uma unidade do Serviço Social do Comércio (Sesc) no Paraná.

O tema da 29ª edição da Semana literária será Leitura e cotidiano e a autora homenageada é Raquel de Queiroz. Na abertura do evento em Curitiba, a primeira conferência será mediada por Christian Schwartz com a importante companhia de Lya Luft.

O debate será na Sala de Atos do Paço da Liberdade e já está com as 70 vagas preenchidas, porém, haverá transmissão simultânea em uma tenda alocada na Praça Generoso Marques, com outras 70 vagas.

De terça a quinta serão duas conferências diárias, uma pela manhã e outra à noite. Na sexta e no sábado haverá uma única palestra pela manhã. Entre o dia 14 e o dia 16, das 14h às 16h, será realizada a oficina Histórias coletivas, que terá como ponto de partida as redes sociais.

São apenas 14 vagas para estudantes que aprenderão o conteúdo no laboratório de arte eletrônica do Paço. Nos mesmos dias, das 10h até as 12h, será ministrado o workshop A tecnologia vai à escola, direcionado aos educadores, com 30 vagas.

Para participar de qualquer atividade da programação, o interessado poderá fazer inscrição gratuita em qualquer unidade do SESC ou no próprio Paço da Liberdade, em Curitiba, e adquirir os ingressos que estarão disponíveis até o término das vagas.

Segundo Márcio Norberto, coordenador das atividades, o evento deixou de se chamar Feira do Livro devido ao próprio conceito. “Sempre teve incentivo ao comércio das livrarias, mas o forte é a produção literária, cinema, música e lançamento de livros. È um conceito maior, que inclui a reunião dos autores para discutir a temática anual”, explica.

Em 2010, a novidade é o espaço onde o evento será realizado. “È um local praticamente recém inaugurado, escolhido para democratizar o acesso. È um espaço nobre, central, popular, onde conseguiremos atrair a atenção do público”, garante Márcio. As atividades seguem até o próximo sábado, dia 18, mas no domingo o Paço da Liberdade permanece aberto com sua programação normal.