O Ministério Público da Espanha pediu mais de oito anos de prisão para cantora colombiana Shakira, 45, e uma indenização de mais de 23 milhões de euros (cerca de R$ 121 milhões), por um caso de fraude fiscal de 14,5 milhões de euros, o equivalente a R$ 75 milhões.

Segundo o jornal El País, os representantes de Shakira ainda não comentaram a decisão judicial, que aconteceu nesta sexta-feira (29). Na última quarta-feira (27), a artista já havia recusado um acordo com o Ministério Público, optando por ir a julgamento pela evasão fiscal.

A Procuradoria atribui à artista uma fraude fiscal de 14,5 milhões de euros, entre os anos de 2012 e 2014, quando teria simulado não residir na Espanha. Em seu comunicado, Shakira, recém-separada do jogador espanhol Piqué, diz que o caso “constitui uma total afronta” aos seus direitos.

A cantora afirma ainda que sempre demonstrou “conduta impecável, como pessoa e contribuinte, e total disposição para dirimir qualquer divergência”. Ela também criticou a Receita Federal, que segundo suas próprias palavras, “gasta milhões” em “perseguições” como a que sofreu, e “perde uma em cada duas ações judiciais com seus contribuintes”.

Por isso, justificam seus advogados, a artista decidiu “deixar a questão nas mãos da lei, com a calma e a confiança de que a justiça lhe dará razão”. Segundo a AFP, a remessa formal ao tribunal ainda não foi anunciada, nem a data do julgamento foi definida.