Com 36 anos de carreira e prestes a completar 60 anos, o cantor Sidney Magal debocha da fama sexy que criou. Casado há 33 anos com Magali, ele conta que o sexo perdeu o encanto com os anos. “Quando me olho pelado, já tenho vontade de rir (risos). Fico imaginando que ela também tenha essa vontade (risos)”, diz ele na “Quem Acontece” que chega hoje nas bancas.

Trabalhando no novo CD e DVD que deve ser lançado em junho, Magal vai na contramão das celebridades e sua sinceridade se alterna: ora é desconcertante como quando declara que sexo não é fundamental; ora é provocadora, como quando diz que transaria com outro homem numa boa.

“Hoje em dia, não. Mas se não tivesse a relação que tenho e tivesse me apaixonado por um homem, lógico que faria, sem o menor problema.”

O cantor, que já foi sex symbol, também contou uma história surpreendente do assédio de uma fã. “Ela trançou as pernas em mim e fez sexo com a minha coxa. Ela revirou os olhos, teve um orgasmo e caiu desmaiada. Minha mulher, que estava ao lado, perguntou “o que a gente faz?’. Eu disse: “ Não sei, deixa ela gozar’.”