Foto: Arquivo

Lápis nunca será esquecido.

A cantora curitibana Juliana Cortes homenageia, no show Silêncio, um dos mais importantes compositores curitibanos: Palminor Rodrigues Ferreira, o ?Lápis? (1942-1978). A apresentação, pela série Domingo Onze e Meia, será amanhã, às 11h30, no Memorial de Curitiba, espaço da Prefeitura administrado pela Fundação Cultural de Curitiba.

O show resgata o nome do sambista, mostrando suas músicas com arranjos inovadores e uma sonoridade bastante sofisticada. As releituras das canções de Lápis se caracterizam pela brasilidade, com a utilização de instrumentos como bandolim, pandeiro, clarinete e violão. Apesar da intensa participação na vida musical e cultural do Estado, Lápis ainda é pouco conhecido pelos paranaenses.

No show, são apresentadas 13 músicas de Lápis com os seus principais parceiros, como Paulo Vítola, César Nicolatti e Rubens Rolim. Elas mostram a diversidade do compositor, que se inspirou nas marchinhas de carnaval de Antonina, grande influência da sua vida musical, e na sua paixão pelo seu estado, refletida na música Meu Paraná. Para executar este repertório, a voz de Juliana Cortes terá acompanhamento dos instrumentistas João Egashira (violão), Daniel Migliavacca (bandolim,  cavaco), Cristina Loureiro (pandeiro, percussão e piano) e Daniel Miranda (clarinete).

Juliana Cortes é formada em Música Popular Brasileira pela Faculdade de Artes do Paraná. Em 2005, foi selecionada para o programa Fama, da Rede Globo, ficando entre os semi-finalistas. No mesmo ano, participou como musicista do Festival Internacional de Etnias (Midfest), em Midlentown (Ohio, Estados Unidos), representando as culturas populares do Brasil. Estudou canto erudito com a professora Gisella Olsen e canto popular com Daniella Gramani, Adriana Fabro, Liane Guariente, Regina Lucatto e Paula Santoro.

Serviço

Série Domingo Onze e Meia – Juliana Cortes no show Silêncio. Amanhã, às 11h30, no Memorial de Curitiba (Rua Claudino dos Santos, 79). Entrada franca.