Lucimar do Carmo/O Estado.
O maestro Roberto Duarte
será o regente da Orquestra Sinfônica, no concerto de hoje.

Hoje a Orquestra Sinfônica do Paraná estará apresentando um concerto, no Guairão, com dois expoentes da música clássica mundial, o maestro carioca Roberto Duarte e o flautista italiano Raffaele Trevisani, reconhecido mundialmente por seu estilo e musicalidade. O repertório está repleto de homenagens a Mozart, pelos seus 250 anos comemorados este ano, e também a estréia sul-americana do Concerto em si bemol maior para flauta e orquestra, Op. 65, do compositor italiano Giulio Briccialdi, um dos mais importantes flautistas do século XIX.

?Mesmo as composições mais tristes de Mozart nos levam a uma grande satisfação e alegria.Trevisani também fará uma obra muito viva e alegre de um compositor italiano do século XIX?, afirma o maestro. Membro da Academia Brasileira de Música, Roberto Duarte é um dos maestros brasileiros mais reconhecidos no exterior. Em sua lista de prêmios consta o mais alto prêmio na área da música no Brasil, o Prêmio Nacional da Música, concedido pelo governo brasileiro em 1996, através da Fundação Nacional de Arte (Funarte). Também recebeu o Prêmio da Associação Paulista de Críticos de Arte (APCA) de Melhor Regente do Ano de 1994 e 1997. Considerado um grande especialista da obra de Villa-Lobos, trabalhou como revisor das obras deste grande compositor brasileiro para a editora francesa Max Eschig. ?Esses rótulos são muito esquisitos. É porque eu estudo muito a obra de Villa-Lobos, fiz várias revisões e continuo fazendo. Eu tenho o prazer de tocar e ouvir músicas de todos os compositores, mas eu faço muita música brasileira, inclusive no exterior, porque nós temos que fazer o que é nosso e valorizar a música do nosso país. O que todos esperam de um músico brasileiro? Que ele toque música brasileira?, afirma o maestro, que já teve dois livros publicados: Harmonia tradicional (Ed. do Autor, 1964-1965) e Revisões das obras orquestrais de Villa-Lobos (Ed. Universidade Federal Fluminense, Vol. I, 1989 e Vol. II, 1994). Discípulo e assistente dos mestres Francisco Mignone e Eleazar de Carvalho, Roberto Duarte fez aperfeiçoamento na Itália e Alemanha e hoje divide seu tempo entre Brasil e Europa, dando palestras, aulas de música e, é claro, regendo as mais importantes orquestras do mundo. Sua carreira internacional começou logo após a conquista do Prêmio Serge Koussevitzky, no Concurso Internacional de Regência do Festival Villa-Lobos, em 1975, no Rio de Janeiro. Tocando pela primeira vez juntos, Roberto Duarte e Raffaele Trevisani prometem dar um show de música e alegria nesta mnhã de domingo.

Serviço: Concerto Orquestra Sinfônica do Paraná, hoje, às 10h30, no Guairão. Ingressos: R$ 10,00, à venda na bilheteria do teatro.