Quem cresceu assistindo MTV e hoje em dia anda meio órfão de um canal de música, porque já passou da fase adolescente do público ao canal, pode começar a se animar. O canal VH1, que será lançado na próxima segunda, dia 21, às 19 h, na Sky, promete suprir os interesses de um público de 25 a 49 anos que gosta de videoclipes, documentários e até programas com releituras de temas e modismos de décadas passadas. O novo canal, que pertence à empresa Viacom Networks Brasil – a mesma que gerencia a MTV Networks Latin -, também deve estar disponível através da associação Neo TV, que conta com a operadora TVA.

"A MTV no Brasil precisava atingir a maturidade para lançarmos este canal no País para este público que não é mais adolescente, mas quer saber o que produzem e onde estão seus ídolos musicais", destaca Álvaro Paes de Barros, vice-presidente de Distribuição da Viacom Networks Brasil e MTV Networks Latin America.

Como o VH1 já existe há mais de 20 anos nos Estados Unidos, sua programação inicial no Brasil será praticamente a mesma de lá. Ou seja, uma grade cujo recheio é dividido em filmes, videoclipes, seriados, documentários, reality-shows e outros programas, sempre com um forte apelo musical. Alguns dos programas já confirmados, a partir da data da estréia, celebram a cultura pop, como o All Acess, série que mostra detalhes da vida íntima de celebridades do mundo musical, e o Behind The Music, produção que "clipa" diversos assuntos, como arquivo de filmes, cenas raras e curiosidades geralmente gravadas pelos próprios artistas em estúdios caseiros. "A nossa matéria-prima é principalmente o que foi sucesso nas décadas de 60, 70 e 80, mas com uma análise atual. Nosso público tem mais interesse em saber sobre a banda U2 do que com a cantora Britney Spears", exemplifica Carolina Vianna, diretora de marketing da MTV Networks Latin.

Mas a grade não será composta apenas de conteúdo americano. Aproximadamente no prazo de um ano o VH1 já planeja contar com um VJ brasileiro, além de produzir programas nacionais. Por enquanto, o ritmo brasileiro só será representado através de videoclipes e alguns filmes. "Vamos customizar a programação aos poucos, de acordo com o que vamos entendendo da audiência do canal", avalia Álvaro Paes de Barros.

Embora os únicos anunciantes já confirmados sejam o iogurte Molico e a cola Superbonder, por ser um canal voltado a um público de alto poder aquisitivo e interessado em música, cultura e entretenimento, é vasto o perfil de produtos que podem se identificar com a programação do VH1. "Nossa programação já é um sucesso em todos os países da América Latina e não possui nenhum outro concorrente nesse estilo, focado na música", valoriza Alessandra Pontes, gerente da Viacom Networks Brasil.

Os planos da diretoria do canal também parecem não dar a mínima para o delicado momento econômico do País. Segundo Álvaro Paes de Barros, o propósito a médio prazo, ou seja, até o final de 2006, seria alcançar a meta de 70% de adesão ao canal nas operadoras de tevês por assinatura em que o VH1 estiver disponível. "Vamos estrear com 42% do público que assiste aos canais pagos e teremos de focar bastante num conteúdo nacional em breve, senão podemos estar fadados ao fracasso", acredita.