No mesmo formato do maior festival de Hip Hop do Brasil, começa hoje o Brasil Tap Jazz, um evento de jazz e sapateado com competição entre grupos do Brasil e da Argentina e workshops de coreógrafos internacionais.

Desde maio, os grupos de dança se inscreveram e participaram de uma seletiva. Os melhores do jazz disputam a preferência dos jurados na noite de hoje. Amanhã é a vez dos grupos de sapateado e, no domingo, apresentam-se artistas solo e duplas dos dois estilos.

São 50 participantes de Buenos Aires e pelo menos 300 brasileiros de São Luiz (MA), Belém (PA), Rio de Janeiro, São Paulo, Porto Alegre (RS), Caxias do Sul (RS), Maringá (PR), Campinas (SP) e Indaiatuba (SP).

Nos três dias, além da competição, os bailarinos e espectadores poderão se inscrever para aulas com os brasileiros Cristina Cará (jazz) e Thiago Marcelino (Sapateado), os americanos da Broadway Jason Janas (sapateado) e o coreógrafo de Michael Jackson Brian Thomas, além da canadense Lisa La Touche, que atua nos dois gêneros. São quatro aulas por dia que não são simultâneas, para que o público possa aproveitar todas em que houver interesse.

A organização do evento é de Octávio Nassur, responsável pela administração diferente do Festival Internacional de Hip Hop, que teve sua nona edição finalizada na semana passada.

É o único festival do País que entrega todos os comentários dos jurados gravados em um CD, que é entregue para o grupo no final da coreografia. Também ao fim de cada apresentação, os jurados divulgam a nota através de um telão.

Dessa maneira, bailarinos e espectadores podem acompanhar também a classificação dos grupos. “Conseguimos encontrar uma forma diferente de organizar festivais de dança, com mais estrutura, idoneidade e máxima qualidade técnica”, lembra Octávio.

A idéia de organizar um evento de jazz e sapateado nos mesmos moldes do festival de Hip Hop surgiu em uma conversa. “Um professor de sapateado, amigo meu, queria organizar um festival de sapateado. Eu queria fazer um de jazz, estilo que me ensinou muito na parte de montar coreografias. Percebemos que os grupos são quase os mesmos e viajam juntos, portanto decidimos juntar essas duas modalidades que são puramente americanas”, explica.

A abertura do festival será responsabilidade do ballet do Teatro Guaíra, homenageando Roseli Rodrigues, uma das principais professora de jazz no Brasil e que faleceu recentemente. Será apresentado o espetáculo Segundo sopro, sucesso da companhia, coreografado por Roseli.

Serviço

Brasil Tap Jazz. Hoje, amanhã e domingo, a partir das 19h, no grande auditório do Teatro Positivo (Rua Prof. Pedro Viriato Parigot de Souza, 5300, Campo Comprido). Workshops e feira das 13h às 18h no Expo Unimed Curitiba (ao lado do Teatro Positivo).