Que bom voltar a Buenos Aires! Rever a Nove de Júlio, talvez a mais larga avenida do mundo! Porto Madero, com seus restaurantes sofisticados. A propósito, ali degustamos excelente jantar em belo restaurante, movimentadíssimo, de propriedade de um paulista. Lá encontramos brasileiros, alguns deles curitibanos, muito gentis, com quem conversamos, para matar a saudade da terrinha.

Corrientes, 3-4-8… ali pertinho, quase na esquina, o restaurante Azzurra, muito sofisticado. Jantar delicioso! Numa situação especial, como era nosso caso, pode-se fazer uma pequena extravagância. Vale a pena. À noite, tudo fica mais gramouroso. Fica no 19º andar, de onde se tem uma linda vista panorâmica de Porto Madero. Recomendo.

Semana maravilhosa, dias ensolarados, inesquecíveis, tempo ideal para longas caminhadas por praças e avenidas, na companhia de um casal amigo formidável. Envolto nesse clima de encantamento, você se dá conta de como a vida é bela!

Ai! a Recoleta, com seus cafés históricos, sua Basílica, declarada monumento histórico nacional; seu cemitério, onde se encontra o jazigo de Evita Perón…

A Calle Florida, com suas lojas e o grande e belo shopping Galerias Pacífico, sua arquitetura típica, seus afrescos belíssimos e sua cúpula central envidraçada.

No alto da Praça San Martín, chamou-nos a atenção um curioso espaço cercado, com dezenas, senão centenas de cães das mais variadas raças. Ali se encontram os personal trainners de cachorro, que levam os bichinhos (e os bichões!) para passear, vários de uma vez, todos presos em coleiras. E assim ganham a vida. Não os cães, mas seus acompanhantes…

Não resistimos à tentação de conhecer o campo do Boca Júnior, com seu gramado impecável, onde nossos hermanitos pretendem nos dar o troco, algum dia, talvez…

Não se pode também deixar de visitar o Teatro Colón, notável arquitetura de estilo eclético, de indisfarçável semelhança com o Palácio de Versailles, na França. A mistura de estilos explica-se pelo fato de que o projeto inicial foi executado, sucessivamente, por três arquitetos diferentes. Mas, há quem garanta que o projeto inicial foi obedecido rigorosamente. A visita é acontecimento de rara beleza. Os visitantes são recebidos por bela soprano, que canta, a capella, uma ária de conhecido compositor clássico. Em outro recinto, você é recebido por uma violinista, executando belo trecho. Mais além, pode-se observar, no palco imenso do teatro, membros da orquestra, ensaiando alguma peça. Logo adiante, esguias bailarinas também ensaiam algum tema clássico, comandadas por exigente coreógrafo. Na imensidão do palco de 18 metros, cujos panos pesam algumas toneladas, você recua no tempo, com a impressão de que, de repente, vai ressurgir ali, bem a sua frente, Caruso, ou Toscanini, ou Stravinsky, ou Maria Callas, ou Nureyev…

Não deixe de conhecer El Caminito, talvez a menor rua do mundo, com uma só quadra, e saque umas fotos engraçadas. E a Feria de San Telmo, paraíso dos apreciadores de antiguidades.

Ah! Ia-me esquecendo do Café Tortoni, o mais antigo da Argentina, com mais de século e meio de funcionamento. Enquanto você degusta um delicioso lanche (medias lunas com dulce de leche), pode contemplar o estonteante cenário art nouveau, que o circunda. E se você tiver muita fé no bule, eu lhe garanto que avistará na mesa ao lado, tomando sua leche amantecada (leite com creme), a figura do cantor Carlos Gardel, ou do poeta Garcia Lorca, ou do filósofo Jorge Luis Borges.

Se você quiser apreciar belos casacos de peles – não se paga para ver! – visite o antigo parque de leilões de gado, hoje transformado no mais luxuoso shopping de Buenos Aires, o Pátio Bullrich. Imperdível!

Una noche tibia, fomos à Esquina de Carlos Gardel. É, sem favor nenhum, a melhor e mais refinada casa de tangos de Buenos Aires. Delicioso jantar à la carte regado a bons vinhos, com sedutores postres (sobremesas), antes do espetáculo de tangos. Guarda-roupa, música e coreografia nota 10! Cantores e cantoras fantásticos! Um deles, cujo nome me escapa, tem uma voz lindíssima de tenor, muito semelhante à de Carlos Gardel, só que muitíssimo valorizada com os recursos da técnica moderna. Serviço irrepreensível. Não deixe de conferir. Diga ao maître que fui eu que recomendei você e peça-lhe para abater de sua conta o valor de minha comissão…

Há muito mais para conhecer, mas é tarefa impossível para se fazer em uma semana, apenas. E fato curioso! cada vez que você voltar, vai querer, como acontece comigo, visitar os mesmos (ou quase os mesmos) lugares. Assim, ficará sempre uma desculpa para retornar àquela que considero uma das mais encantadoras cidades desse vasto mundo. Isso mesmo! De lado nossas diferenças com los hermanitos, Buenos Aires continua linda!