O concerto do trio russo St. Petersburg Virtuosen, às 20 horas desta quinta-feira, no Teatro Guaíra, abre a 24ª Oficina de Música de Curitiba. O espetáculo é uma das 38 apresentações que a Oficina programou para a cidade até 21 de janeiro. Além disso, até lá, mais de mil alunos participarão de 93 cursos, divididos em 8 para música eletrônica, 26 para erudita, 44 para música popular brasileira e 15 nas Ruas da Cidadania. O St. Petersburg Virtuosen é formado por Natalia Alenitsyna (violino), Pjotr Meshvinski (violoncelo) e Evgeny Izotov (piano). No concerto, eles interpretarão obras de Shostakovich e Brahms.

As principais novidades desta edição são a inclusão da música eletrônica, pela primeira vez na Oficina, e a volta das aulas nos Núcleos da Fundação Cultural nas Regionais Administrativas da cidade. "Os alunos vinham solicitando a música eletrônica por isso resolvemos trabalhar com este segmento e oferecer ao público essa novidade", diz Janete Andrade, diretora artística da Oficina de Música de Curitiba.

Outra novidade é relacionada às fases da Oficina. As oficinas de música erudita e de música popular brasileira serão no mesmo período – de 5 a 15 de janeiro – ao contrário dos outros anos, em que elas eram realizadas em etapas separadas. Com o término desta primeira fase, começa a de música eletrônica e a dos Núcleos Regionais nas Ruas da Cidadania, de 16 a 21 de janeiro.

Além da direção artística geral da Oficina, Janete Andrade será diretora de música erudita e das oficinas nos Núcleos Regionais. A direção de MPB será novamente compartilhada pelos músicos Sérgio Albach e Glauco Sölter. A música eletrônica terá a direção de James Pedrozo Pinto.

Para o professor de piano da Escola de Música e Belas Artes do Paraná (EMBAP) e musicólogo, Daniel Binotto, a música eletrônica na Oficina de Música é muito importante. "A música contemporânea que contempla também a música eletrônica é importantíssima em um evento como esse até como função social, pois transmite todo o contexto do que vivemos hoje", diz Binotto. "A oficina tem quase obrigação de trabalhar com um repertório atual como esse".

A expectativa é de que mais de 1.000 alunos participem dos cursos de instrumentos, prática de conjunto, canto e coral, além de terem acesso gratuito a 38 concertos, com apresentações de alguns dos maiores músicos da atualidade e dos próprios alunos. O eletrônico www.oficinademusica.org.br traz todas as informações sobre cursos, professores e programação geral.