A história de uma jovem espanhola que enfrentou os mares em pleno século XVI, numa expedição ao Brasil. Esse é o enredo que o escritor ítalo-uruguaio Diego Bracco retrata em seu novo livro denominado Maria de Sanabria. A publicação foi lançada essa semana na Livrarias Curitiba do Shopping Estação.

“Maria Sanabria é uma heroína.” É assim que Bracco descreve um dos principais personagens envolvidos na trama. Maria era nascida em berço de ouro, porém, tinha fortes desavenças com o pai, causadas pelas inúmeras tentativas de fugir do destino que lhe aguardava.

Numa dessas tentativas, Maria recebe a notícia que mudaria sua vida. A coroa espanhola recruta jovens mulheres para povoar o Brasil e evitar que seus exploradores espanhóis deixem herdeiros mestiços em conseqüência aos relacionamentos com as índias brasileiras.

Maria reúne então um grupo de mulheres e zarpa para o Brasil. Aí começa toda a trama que envolve figuras históricas como Cabeza de Vaca e Hans Staden.

Para Bracco, a compreensão da história foi um dos maiores desafios na construção do livro. “O mais difícil foi entender esse período. Já a elaboração da história com a aplicação do drama, dos sentimentos e da emoção foi um trabalho mais rápido. Meu propósito é muito mais de compreender a história do que reunir todos os fatos daquela época”, explica.

A paixão pelos momentos históricos do Brasil foi uma das razões que o levaram a escrever Maria de Sanabria. “Me dediquei durante toda a minha vida na construção deste livro. Tenho uma fascinação sobre esse período.”

Para o autor, as mulheres sempre tiveram um papel muito importante, tanto no passado como atualmente. “Muito do que os homens fizeram no século XVI foram sugestões das mulheres, o que não é muito diferente de hoje em dia”, afirma o escritor.

Bracco afirma que não deixará a história do Brasil de lado. “Estou agora me dedicando aos trabalhos universitários e, também, iniciando o processo de leitura dos documentos que retratam a história do Paraná e Santa Catarina. É difícil adiantar, mas boas histórias virão”, garante. Diego Bracco é doutor em História pelas universidades de Sevilha, na Espanha, e Liverpool, na Inglaterra.