Quase todo mundo conhece a história de Victor Frankenstein, um estudante de ciências naturais criado pela escritora inglesa Mary Shelley que resolve criar um ser humano “do nada”, sem usar os métodos naturais de concepção, juntando partes e órgãos de pessoas que já morreram. Foi assim, juntando trechos de clipes, shows e áudios recordados de outros artistas que o designer gráfico carioca Gabriel Salles, de 35 anos, criou um canal no Youtube chamado “Golpe Baixo” e virou sucesso na internet.

Diferente do “Frank” dos livros, as criações de Gabriel não são monstros, mas sim vídeos hilários que mostram artistas dos mais diferentes estilos cantando músicas dos estilos mais diferentes. Uma salada de ritmos capaz de colocar o também inglês Elton John cantando uma música de sucesso do brasileiro Wesley Safadão. Como isso é possível? Veja o vídeo abaixo e entenda a beleza, complexidade e divertidíssima obra do nosso personagem:

Criado para ser um canal de compartilhamento de vídeos feitos pelo seu grupo de amigos de infância, o Golpe Baixo sempre foi um hobby para Gabriel, nunca uma profissão. Como muitas das ideias que “morrem na casca”, esta também morreu, mas o designer resolveu tocar sozinho o canal.

“Pensei em fazer algumas coisas e postar no canal, que já estava criado mesmo. Aí um dia estava navegando e vi um vídeo parecido com os que eu faço e pensei que poderia fazer algo igual, e melhor que os que vi”, contou à reportagem. No primeiro vídeo, Gabriel colocou a voz do Gusttavo Lima, que na época estava estourado com a música “Balada”, na boca de James Hetfield, da banda de Hard Core Mettalica.

“O primeiro vídeo já foi um sucesso. Em uma semana teve mais de 100 mil visualizações para um canal que não tinha nenhum inscrito. Cresceu rápido pra caramba. Curti muito o resultado e a repercussão, e continuei fazendo”, disse. Por ser perfeccionista e tocar a atividade como hobby, Gabriel demora um tempo razoável para fazer os vídeos. “Nunca foi minha profissão e por primar pela qualidade, faço uns 2 ou 3 por ano. Esse mesmo do Elton eu estava quase um ano sem postar nada”.

O talento é inegável. A sincronia do canto com os arranjos e instrumentos é quase perfeita. Talvez por isso alguns dos vídeos feitos por ele já tenham ultrapassado a marca dos 3 milhões de visualizações.

Nem um revés inexplicável nesta caminhada desmotivou o artista. Sem explicações, o Facebook excluiu sua página com mais de 1 milhão de seguidores sem maiores explicações. E foi justamente pela rede social que ele conseguiu mais visibilidade. “Vi numa postagem do Facebook uma página que compartilhou o vídeo do Elton John que tinha mais de 6 milhões de visualizações”, disse.

Sucesso em outras mídias

Os trabalhos já levaram Gabriel a produzir diversos conteúdos em parcerias com blogs ou youtubers famosos. “Já produzi um vídeo por encomenda para o Programa da Sabrina Sato, que queria homenagear um artista convidado. Já fiz alguns trabalhos em parceria com o Kibeloco e o Jacaré Banguela”, acrescentou. O sucesso dos vídeos fez com que a rede de contatos de Gabriel crescesse na mesma velocidade que as visualizações de suas obras.

As mais engraçadas são aquelas que ele coloca cantores populares, sertanejos, sambistas, na “voz” de roqueiros ou artistas internacionais. Bom Jovi já cantou “Malandramente”, do MC Nandinho, o Queen interpretou “Robocop Gay”, dos Mamonas Assassinas, e até a Boyonce cantou “Lepo, Lepo”.

O vídeo mais visto mostra o grupo de heavy metal Slipknot cantando “Amor de Chocolate”, do cantor Naldo. Assista abaixo.

Apesar do inegável talento na edição de vídeos e sucesso no Youtube, Gabriel Salles não pretende virar um youtuber. Segundo ele é o prazer da repercussão que o move a continuar produzindo seus vídeos. “Gostaria de produzir mais conteúdo, pois tenho um público legal, fãs legais, que pedem cada vez mais vídeos”.

Conheça o canal Golpe Baixo no Youtube e veja outros vídeos.