O diretor Roman Polanski não representa ameaça a ninguém e as acusações contra ele deveriam ser esquecidas. A afirmação é de Samantha Geimer, a vítima adolescente de Polanski em um caso de abuso sexual ocorrido há 33 anos.

“Chega”, disse ela sobre os contínuos esforços para processar Polanski, em entrevista ao Los Angeles Times, em texto publicado hoje no site do jornal. Para ela, o caso deveria ter sido resolvido quando aconteceu.

Samantha foi proibida de discutir a determinação judicial com o diretor, mas disse que isso não influenciou sua visão dos fatos. “Eu me senti dessa forma desde o início”, afirmou. Polanski admitiu a culpa por ter mantido relação sexual ilegal com ela em um acordo que suscitou controvérsia. As autoridades suíças se recusaram ontem a extraditar Polanski para os Estados Unidos.