Durante uma série de tuítes, a cantora Anitta, 29, usou os termos Voldemort e Dumbledore para se referir a Bolsonaro e Lula, respectivamente. Muita gente não tem ideia do que sejam esses nomes retirados da saga “Harry Potter”.

Voldemort, nome usado pela artista para se referir ao atual presidente Bolsonaro, é o maior vilão da saga e da série de livros de J.K. Rowling. Na narrativa, é o líder dos Comensais da Morte, um grupo de bruxos e bruxas malvados que querem livrar o Mundo Mágico dos Trouxas e estabelecer Voldemort como seu governante supremo.

LEIA TAMBÉM:

>> Por onde andam Rosa & Rosinha? Um deles veio parar em Curitiba!

>> Musculação, natação, jiu-jitsu, pilates e muito mais! Como fazer exercício de graça em Curitiba?

Na trama, ninguém gosta de pronunciar o nome dele e se referem ao vilão por apelidos, como “Você Sabe Quem” ou “Aquele que não deve ser nomeado”. A autora da obra o descreve como um psicopata e o mais malvado por centenas de anos e que não liga para o sofrimento dos outros. Ele também não tem consciência, não sente remorso nem tem empatia por ninguém.

Já Dumbledore, apelido que Anitta deu a Lula, é, na maior parte da série, o diretor da escola de magia Hogwarts e completamente oposto ao Voldemort. Dentre suas principais características estão a benevolência, a serenidade, a compostura e a sapiência.

Curiosamente, apesar de ser um bruxo do bem, a história retrata Dumbledore como o único bruxo temido por Voldemort, algo que, se colocado na vida real, pode ser uma comparação com o medo de Bolsonaro perder o poder para o ex-presidente nas eleições de outubro.