ZIRALDO_CARICATURA.jpgOutubro é o mês das crianças. E para homenagear os pequenos, Ziraldo – um dos maiores autores da literatura infantil – vem a capital paranaense no próximo dia 6 (quinta-feira)  para conversar com os pequenos e também para comemorar os 25 anos do lançamento do Menino Maluquinho, seu personagem mais conhecido.

O encontro será a partir das 19h na Livrarias Curitiba Megastore do Shopping Estação, com entrada franca. Antes, a partir das 14h, haverá oficinas de desenhos, também com a participação gratuita. Para participar, basta ir até o local.

Com mais de 100 livros publicados e vendas que superam 10 milhões de unidades, Ziraldo é considerado unanimidade no segmento de literatura infantil. Suas obras já foram traduzidas para diversos idiomas, tais como inglês, espanhol, alemão, francês, italiano e basco. Mas para quem imagina que o sucesso veio rápido, ele mesmo explica.

?No começo foi difícil. A fama começou a vir só a partir dos anos 60, com o lançamento da primeira revista em quadrinhos do Brasil [A Turma do Pererê] feita por um só autor?, conta.

?Durante o regime militar e com a ajuda de outros humoristas, fundei o jornal O Pasquim – um periódico que fez escola e até hoje deixa saudades. Em 1969 publiquei o livro infantil Flicts, que conquistou fãs em todo o mundo. Em 1980 lancei O Menino Maluquinho ? que é um dos maiores fenômenos editorias no Brasil de todos os tempos?, completa.

Diversidade

E a criação de Ziraldo fez e ainda faz tanto sucesso que a obra já se transformou em cinema, teatro, televisão, parque temático, tiras diárias de jornal, CD-Rom, músicas, história em quadrinhos, livros de mágicas e de receitas infantis, manual de sobrevivência, anedotas, reflexões e ópera. 

Em 2003, na 11ª Bienal Internacional do Livro do Rio de Janeiro, o autor bateu os próprios recordes. Ele autografou 3.842 exemplares em 11h30 de atividades. 

Questionado sobre a falta de hábito de leitura, do pouco acesso aos livros e bibliotecas e da baixa escolaridade da maioria dos brasileiros, o escritor foi direto. ?Os pais não fazem idéia de como é importante a presença da literatura na vida de seus filhos. O livro é uma viagem que o homem pode e tem que fazer em busca do seu próprio conhecimento. E esta viagem deve começar na infância. É por esta razão que eu digo ? para criar a questão ? que ler é mais importante do que estudar?, conta.  

E para quem deseja saber a opinião de uma obra consagrada na literatura brasileira, ele recomenda. ?Acho que todas as pessoas devem ler Os Sertões, do Euclides da Cunha. E as crianças têm que ler todos os livros infantis que se publicaram no país. Não importa qual seja o título, mas os pais devem estimular seus filhos para desenvolver o hábito desde cedo?, finaliza.