O ministro da Fazenda, Antonio Palocci, afirmou hoje que o Brasil deve ter em 2006 um ano de crescimento forte. Segundo ele, o País está preparado para enfrentar eventuais turbulências internas e externas. Isso porque, de acordo com o ministro, o governo conseguiu melhorar o perfil da dívida interna e externa. No último caso, Palocci destacou que isso foi possibilitado pelo superávit recorde na balança comercial e também pelo nível robusto das reservas internacionais, que, segundo ele, devem fechar 2005 em torno de US$ 55 bilhões.

"O quadro externo nunca foi tão bom. O resultado é a melhora, a cada dia, do endividamento", afirmou Palocci, lembrando que, neste ano, o Brasil eliminou a dívida em C-Bonds, antecipou o pagamento ao FMI e anunciou também a antecipação do pagamento ao Clube de Paris, além de, pela primeira vez, o Brasil ter emitido títulos da dívida externa em reais. "Esse conjunto de medidas fez o risco-país cair para algo em torno de 300 pontos", disse o ministro, acrescentando que a melhora na área externa também tem se refletido nos indicadores de emprego e renda.