A Associação Brasileira das Empresas Importadoras de Veículos Automotores (Abeiva) divulgou nota nesta tarde criticando a decisão do governo brasileiro de impor barreiras à importação de veículos. A associação representa 30 marcas internacionais de automóveis, entre elas a coreana Kia e as chinesas JAC e Chery.

Segundo a nota, “a entidade concorda com a decisão do governo brasileiro de aplicação do sistema de liberação não automática de veículos provenientes da Argentina, diante do fato de o país vizinho ter adotado medidas protecionistas contra produtos brasileiros, contrariando acordos bilaterais, mas a entidade não concorda com a extensão dessas medidas a veículos provenientes de outros países”.

Segundo os dados da Abeiva, as empresas associadas à entidade comercializaram nos primeiros quatro meses deste ano 51.698 unidades, o que representa 4,92% do mercado total interno de veículos e 21,15% do total de veículos importados. Os outros 79,85% foram importados pelas montadoras instaladas no País, “sendo que a grande maioria através de acordos bilaterais com isenção de imposto de importação”, diz o texto da nota.

Desde terça-feira, o Brasil exige que os importadores de veículos solicitem licenças de importação não automáticas, que são expedidas apenas após análise de técnicos do governo e podem demorar até 60 dias. A medida é válida para as importações de veículos e peças de todos os países, mas tem o objetivo principal de forçar a Argentina a rever ações protecionistas adotadas com relação aos produtos brasileiros.