A Secretaria de Segurança do Rio informou que é possível que a Força Nacional de Segurança não comece a atuar nesta sexta-feira (19) no Estado, uma vez que faltam detalhes logísticos para assegurar a acomodação da tropa nos quatro municípios do interior que irão acolhê-la. A secretaria lembrou que a Operação Divisa Integrada conta ainda com a participação de 450 policiais militares de batalhões do interior que se dividirão em três turnos de oito horas e se espalharão por 42 pontos móveis nas divisas do Estado. Esses 42 pontos compreendem uma área também coberta pelo 19 pontos a serem patrulhados pela Força Nacional.

A intenção é vistoriar automóveis, fazer blitze e checar informações obtidas pelo setor de inteligência da Polícia. A secretaria divulgou ainda que o contingente da Força é de 400, e não de 500 militares, e confirmou que metade deles poderá atuar na capital, conforme a necessidade. Ainda segundo a secretaria, a ajuda federal ao Rio é composta de 700 pessoas, contabilizando aí auditores da Receita Federal que vão checar documentação aduaneira e da Polícia Rodoviária Federal que irá ajudar no patrulhamento.