Objetos, equipamentos, documentos e fotografias do acervo do Museu Banestado, doado ao Museu Paranaense, serão expostas a partir desta terça-feira, no horário normal do Museu. Até as vitrines originais fizeram parte da doação e a mostra traz livros, moedas, cédulas e medalhas usadas desde o início do século XX e fazem da coletânea “Banestado ? o banco da nossa gente”. A exposição permanece aberta ao público até 20 de outubro, de terça a sexta-feira, das 10h às 17 horas, sábado e domingo, das 11h às 15 horas.

A fundação do Banco do Estado do Paraná partiu de um capital de dez mil contos de réis, quando era presidente do Estado do Paraná Afonso Alves de Camargo, por meio da Lei n° 2532 de 27 de março de 1928. A missão inicial do Banco era de “Guarda-Valores” do Tesouro Estadual, operando em auxílio à agricultura, indústria e comércio.

Em 1961, o Banco se consolidou como instituição financeira passando a participar mais ativamente do desenvolvimento sócio-econômico do Estado. A expansão do Banco se efetivou em 1967 com a incorporação do Banco do Paraná S/A e com a aquisição do Banco Alfomares S/A em 1968. Visando o fortalecimento da agropecuária, implantou a Carteira de Crédito Rural em 1969 e a Carteira de Câmbio, o que contribuiu para o intercâmbio bancário em âmbito internacional, em apoio às atividades de comércio exterior.

A partir de 1972, o Banco do Estado do Paraná passou a liderar a formação de um conglomerado de grandes empresas, quando foram criadas três instituições: Banestado S/A Crédito, Financiamento e Investimentos. Em 1980, continuou a sua expansão com a criação de novas empresas, como Banestado Leasing S/A ? Arrendamento Mercantil; Baninvest S/A ? Sociedade de Investimentos, Banestado Clube S/C e o Banco del Paraná S/A. Desde 1981, 1982 até o final da década de 90 foram abertos escritórios e agências no exterior, em New York, Grand Cyman, Ciudad de Panamá, Tokyo e London.
O Banco foi privatizado em 17 de outubro de 2000, vendido para a Itaú S/A. Após a privatização, o Museu Banestado foi desativado e seu acervo doado ao Museu Paranaense. Constando de: documentos, objetos, fotos, livros e uma excelente coleção de moedas, cédulas e medalhas.