O presidente da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado, Antonio Carlos Magalhães (PFL-BA), disse em Salvador, ao comentar o pronunciamento do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que, apesar da grande expectativa criada, "ele não disse nada que interessava à Nação, nem a maneira que vai coibir as imoralidades existentes em todos os setores de sua administração".

Para ACM, o saldo do discurso foi "negativo". Ele afirmou que, nesta fase, Lula não conseguiria "enganar ninguém com palavras: o que se espera são atos, pois nós estamos, como disse o ‘Estadão’, numa ‘derrocada’". Magalhães afirmou achar que o presidente não seguiu os conselhos que o publicitário Duda Mendonça disse que daria a ele nesse momento de crise, falando toda a verdade.

"Para quem está acostumado a enganar, é muito difícil falar a verdade e eu, inclusive, já vinha dizendo que ele (Lula) era um enganador há muito tempo."