Brasília – O ministro da Previdência Social, Amir Lando, informou hoje ao presidente do Sindicato Nacional dos Aposentados e Pensionistas, João Inocentini, que o acordo entre o governo e a categoria deve sair na próxima semana. A informação foi dada pelo sindicalista, que disse ter recebido um telefonema de Amir Lando. O acordo é para o pagamento de aposentados que tiveram perdas com o Plano Real. Inocentini reclamou que “a negociação está muito devagar”.

Em entrevista à Agência Brasil, o ministro disse que a proposta a ser apresentada prevê que os aposentados recebam, a partir de julho, apenas as correções dos benefícios, o que irá gerar uma despesa extra de R$ 1 bilhão. Os atrasados, o governo só pensa em pagar no começo de 2005. “Para isso, queremos duas condições: a primeira é a adesão ao acordo e a segunda é que os aposentados desistam das ações judiciais”, disse Lando.

João Inocentini adiantou que se for esta a proposta apresentada aos aposentados, ela será aceita. “Eu vejo duas vantagens: uma é que as aposentadorias serão corrigidas logo e, depois, os aposentados poderão receber tudo o que têm direito; na Justiça, as ações se limitam a apenas R$ 14 mil”, afirmou o sindicalista.

Amir Lando informou que a decisão final será do presidente Luiz Inácio Lula da Silva. “Nós estamos fazendo com que este impacto seja o mais brando possível, tanto para os aposentados quanto para a sociedade”, acrescentou.

A dívida com os aposentados chega a R$ 12 bilhões.