A Associação Desportiva Atlética do Paraná (Adap), de Campo Mourão (400 quilômetros de Curitiba), não desistiu e sua assessoria jurídica tentará reverter nos próximos dias a contratação do garoto Jean Carlos Chera, de nove anos, pelo Santos, além de denunciar o clube alvinegro por pirataria. O presidente da Adap, Adílson Batista Prado, reclamou da falta de ética da equipe santista e afirmou que o clube tomará as medidas jurídicas cabíveis.

"Nós vamos coibir essa ação desagradável do Santos, pois tínhamos um planejamento da carreira do Jean, além de darmos o auxílio necessário para a sua família", disse.

Apesar da pouca idade, o garoto é considerado fora de série e já é chamado de "fenômeno".

Jean foi descoberto no Sinop (MT) e chegou a Campo Mourão em dezembro. Sua habilidade com a bola despertou a atenção de grandes clubes, como o Porto e o Manchester United, além do grupo MSI, que gerencia o futebol do Corinthians. "Todos eles, porém, agiram com ética e respeitaram o acordo que tínhamos com a família do Jean. Eu apenas lamento que um garoto tão jovem comece a ser envolvidos nesses casos tão cedo.

Precisamos resguarda-lo dessa situação", disse Adilson Prado, que ratificou a existência do contrato de prestação de serviços para o gerenciamento da carreira de Jean, que foi ignorado pelo time paulista.