O advogado e ex-funcionário da empresa de transporte aéreo Skymaster Marcus Valerius Pinto Pinheiro de Macedo foi preso em flagrante, por desacato, quando prestava depoimento na Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) dos Correios. A prisão foi determinada pelo presidente da CPMI, senador Delcídio Amaral (PT-MS).

O requerimento de prisão foi apresentado pelo deputado Geraldo Tadeu (PPS-MG), que foi interpelado por Marcus Valerius, ao pedir a quebra do sigilo bancário da esposa e da irmã do advogado. "Da mãe também seria bom", afirmou o advogado, quando o parlamentar fez o pedido.

Marcus Valerius foi preso com base no Artigo 331 do Código Penal, que trata de desacato a funcionário público no exercício da função. A detenção prevista vai de seis meses a dois anos. Ao deixar a comissão, conduzido pela polícia do Senado, o advogado disse que o ato da CPMI foi arbitrário. "Fui humilhado e constrangido como cidadão", afirmou.