O relator da Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) dos Correios, deputado Osmar Serraglio (PMDB-PR), recebeu, nesta quarta-feura, do advogado do publicitário Duda Mendonça, Antônio Mariz, e de sua sócia, Zilmar Fernandes, autorização espontânea para que sejam efetuadas as transferências de sigilos bancários à comissão.

Em depoimento à CPMI, Duda Mendonça disse eu recebeu em 2003 mais de R$ 10 milhões referentes à dívidas de campanha do PT, feitas em 2002, por meio de uma conta aberta em Bahamas ? país caribenho que possui leis que o transformam em paraíso fiscal. Hoje, à Polícia Federal, Antônio Mariz informou que o dinheiro recebido por Duda fora do Brasil erá "repatriado", pois é "fruto de trabalho e de boa origem".

Sobre o depoimento de ontem, em São Paulo, do doleiro Antonio Oliveira Claramunt ? o Toninho da Barcelona ?, Osmar Serraglio disse que foi importante na medida em que "ele mostrou como operava o envio de dinheiro ilegal para o exterior por meio de contas em paraísos fiscais e bancos internacionais".

No entanto, o relator da CPMI ressaltou que qualquer benefício de redução de pena para o doleiro ? que cumpre 25 anos de prisão na penitenciária de segurança máxima em Avaré (SP) ? "dependerá da consistência das informações que ele tem para apresentar".

"Até o momento não temos nada além das palavras dele", apontou Osmar Serraglio. Segundo o relator, no depoimento de ontem, Toninho da Barcelona falou que operava "mandando dinheiro para o exterior de vários partidos políticos". Quanto à transferência para a CPMI dos Correios dos arquivos do banco americano MTB Bank, lacrados na CPMI do Banestado, o deputado disse que já existe um requerimento da comissão aprovado a respeito disso.

O presidente da CPMI dos Correios, senador Delcídio Amaral (PT-MS), ressaltou que "não se pode deixar que nomes de pessoas e de instituições venham à tona sem qualquer prova, para se não cometer equívocos neste momento difícil". Antes de qualquer decisão sobre o caso de Toninho da Barcelona, o presidente da CPMI quer saber o teor do seu depoimento em São Paulo e conversar com os deputados e senadores da comissão para tomar qualquer atitude.

Está marcada para amanhã, às 9 horas, uma reunião administrativa da comissão quando será discutido o depoimento de Toninho da Barcelona. Às 11h30, está marcado o depoimento do ex-diretor de marketing do Banco do Brasil, Henrique Pizzolato.