São Paulo (AE) – Os advogados do ex-governador Paulo Salim Maluf e do filho dele, Flávio, pretendem entrar até amanhã (18) com novo pedido de habeas-corpus no Superior Tribunal de Justiça (STJ), em Brasília. Na quinta-feira (15), o Tribunal Regional Federal (TRF) negou o pedido de liberdade. Faz uma semana que o ex-prefeito e seu filho estão presos na carceragem da Polícia Federal em São Paulo. Os advogados também querem que seus clientes sejam transferidos para celas especiais, mas o Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu só conceder o benefício para autoridades que sejam julgadas pelo próprio STF. Com isso, os dois continuarão em celas comuns na Polícia Federal enquanto estiverem presos.

Hoje, a advogada da Eucatex, Maria Hebe Pereira de Queiroz, foi a única que conseguiu visitar Paulo Maluf na Polícia Federal durante a manhã. Ela disse que entregou um documento sobre questões tributárias da Eucatex para o ex-governador, que estava bem abatido.

Algumas horas antes da visita da advogada, o deputado estadual Antônio Salim Curiati e a mulher de Flávio Maluf, Jaquelline de Lourdes Maluf, tentaram entrar na sede da Polícia Federal, mas não conseguiram. "O Flávio está abatido, ele tem problema gástrico. Mas ele está confiante que isso dará uma nova vida à família", disse Jaquelline. "É claro que estamos chateados que não saiu o habeas-corpus, mas o Senhor é nosso pastor e nada nos faltará. O meu marido é uma pessoa trabalhadora que tem vários funcionários que dependem dele. Ele podia viver só de renda, mas ele trabalha."