Advogados do empresário Marcos Valério de Souza entregaram, nesta sexta-feira, à Procuradoria Geral da República (PGR), os registros da movimentação contábil de duas de suas empresas, a SMP&B e a DNA Propaganda.

Na terça-feira, Marcos Valério já havia entregado a PGR, uma lista com nomes de pessoas que teriam sacado dinheiro da agência do Banco Rural em Brasília. A lista também foi apresentada à Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) dos Correios.

De acordo com informações da assessoria de imprensa da PGR, os documentos serão anexados ao inquérito que investiga o suposto pagamento de mesadas a parlamentares. Atualmente, o inquérito está sob a responsabilidade do Supremo Tribunal Federal (STF).

Quando chegou ao STF, o inquérito foi encaminhado ao procurador-geral da República, Antônio Fernando Souza, que estipulou o prazo de 15 dias para que a Polícia Federal interrogasse os que estariam envolvidos nos saques. O pedido de ampliação do prazo, que termina hoje, será pedido pela Polícia Federal.