O governador de Minas Gerais, Aécio Neves (PSDB), aproveitou a divulgação do crescimento de 0,5% do Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro do segundo trimestre para disparar críticas contra o governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Aécio observou que o fraco crescimento do PIB deve ser divulgado e explorado na campanha do presidenciável tucano, Geraldo Alckmin. O governador classificou como "tímida" e "desorganizada" a política econômica da administração federal.

"Eu faço avaliação com responsabilidade de governador de Estado. O governo é ruim. O governo, do ponto de vista da gestão, é primário, é amador. E do ponto de vista de política econômica, muito pouco ousado. Acho que o governo do presidente Lula carrega até hoje o custo PT", afirmou Aécio.

Ele comentou a entrevista de Lula ao Jornal da Globo, da Rede Globo, na qual o presidente disse que, em relação às taxas de crescimento, é preciso ver a realidade de cada país e que o Brasil deve ser comparado consigo mesmo e não com os países emergentes. Para o governador, trata-se de um "equívoco de visão".

"A comparação tem que ser com os outros países, porque nós vivemos no mesmo mundo, o ambiente internacional é o mesmo para todos. Então, se alguns países estão crescendo é porque o ambiente é propício e nós estamos perdendo uma grande oportunidade de crescer", disse. "E o Brasil tem ficado no último vagão desse trem.

Ao afirmar que a política econômica é "tímida, desorganizada", Aécio destacou que a diretriz adotada no governo Lula fez com que o Brasil obtivesse, na América do Sul, uma taxa de crescimento apenas acima do Equador. "É um dado absolutamente lastimável e ainda vejo quem comemore esses dados, o que é ainda mais triste." As críticas do governador mineiro foram feitas após o lançamento de seu programa de governo.