O Corpo de Bombeiros registrou, na tarde desta sexta-feira (23), o primeiro caso de afogamento desde o início da Operação Verão no litoral do Paraná. Uma menina de 12 anos morreu na Baía de Antonina. Os bombeiros orientam para que as pessoas tenham o máximo de cuidado ao entrar no mar ou em rios e busquem se banhar em locais onde existam postos de guarda-vidas.

Os banhistas devem atender às orientações dos guarda-vidas. ?Nossa solicitação é para que as pessoas colaborem com os nossos profissionais e sigam as orientações, pois nosso objetivo é sempre preservar vidas?, disse o tenente Leonardo Mendes dos Santos, oficial de Comunicação Social do Corpo de Bombeiros na Operação Verão. Até o momento foram realizadas mais de 1.800 advertências e 45 salvamentos no litoral desde o início da Operação Verão, em 16 de dezembro.

Afogamento

A menina que se afogou e mais três crianças brincavam em uma barcaça no mar entre a Ponta da Pita e o Porto de Antonina. Ela mergulhou e não conseguiu mais retornar à superfície. As outras crianças tentaram fazer o salvamento, mas não conseguiram encontrar a amiga. Elas pediram socorro ao guarda-vidas que fica no posto na Ponta da Pita, a mil metros do local. A partir de então o Corpo de Bombeiros foi acionado e mergulhadores fazem buscas no local na tentativa de encontrar o corpo. A família, que mora em Antonina, acompanha o resgate.

O Corpo de Bombeiros lembra que as placas de advertência são colocadas em locais onde há risco de afogamentos. Os lugares são escolhidos conforme as condições do mar, a tábua de marés, a intensidade dos ventos, entre diversas variáveis observadas. Outra orientação é que o banhista não tenha vergonha de pedir socorro caso esteja em dificuldades. Usar bóias e outros objetos flutuantes causam uma falsa sensação de segurança. É importante também não entrar na água quando há trovoadas e relâmpagos.

Dicas

As dicas do Corpo de Bombeiros não se restringem às orientações na areia da praia ou em locais de rios do litoral onde existem postos de guarda-vidas. É ideal que, no momento em que o veranista decida por passear no litoral, já comece a pensar na própria segurança e na segurança de amigos e parentes. ?Quem vem de ônibus geralmente começa a beber antes de sair de Curitiba e quando chega na praia já não tem condições de entrar no mar. Este tipo de irresponsabilidade é uma das principais causas de afogamentos e gera necessidade de salvamentos?, alertou o tenente. ?Antes de entrar na água é importante não beber e não ingerir comidas pesadas?, completou.