A inauguração pelo governador Roberto Requião de uma unidade de produção de leitões (UPL) da Cooperativa Agroindustrial Lar e de uma fábrica de laticínios, ambos empreendimentos em Itaipulândia, mostra a força do agronegócio como indutor da economia e do desenvolvimento no Oeste do Paraná.

Quatro cooperativas agrícolas da região vão receber o aporte de mais de R$ 600 milhões em investimentos federais e estaduais através de bancos oficiais como o BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social) e o BRDE (Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul), além de incentivos no ICMS (Imposto de Circulação de Mercadoria e Serviços).

Unidades no Oeste

A Lar investiu R$ 10,5 milhões na UPL de Itaipulândia – tem sede em Medianeira e unidades na maioria das cidades do Oeste (Matelândia, Missal, Santa Helena) ? e pleiteia financiamento de R$ 15 milhões no BNDES para construir unidades de beneficiamento de sementes no Paraguai.

Em Matelândia, a Lar que já possuiu uma unidade industrial avícola, está investindo R$ 3 milhões na implantação de um matrizeiro composto por mais de 20 aviários. Todo o complexo terá capacidade para abrigar em torno de 45 mil matrizes. Os ovos coletados serão encaminhados para o incubatório localizado em Santa Helena. A cooperativa abateu 40 milhões de frango em 2004.

?O Brasil tem encontrado uma boa estabilidade econômica, uma balança de pagamento positiva e o setor que está equilibrando tudo isso é o agronegócio. Os investimentos têm apoio do Governo do Estado, através do BRDE, e de incentivos com o ICMS?, diz o presidente da Cooperativa Lar, Irineu da Costa Rodrigues

Produção ao Paraguai

Requião inaugurou ainda a unidade central da Laticínios Iguaçu Ltda. A fábrica mudou sua matriz de Cascavel para Itaipulândia e investiu R$ 3,4 milhões na construção de sua nova sede de quatro mil metros quadrados.

A Iguaçu inicia sua produção com 100 mil litros de leite por dia e espera atingir o pico de 300 mil litros leite/dia, além da produção de todos os derivados do produto: bebidas lácteas, queijos, requeijão, iogurtes.

Parte considerável da produção, segundo o diretor da empresa, José Carlos Soares, tem o Paraguai como destino certo. ?Já firmamos acordo com a Lactopar, empresa paraguaia, para exportação dos nossos produtos fabricados em Itaipulândia?, salienta Soares.

A produção da fábrica começa em setembro. A Iguaçu vai gerar entre 70 e 120 empregos diretos, cerca de dois mil indiretos, e já tem 1,4 mil produtores, entre pequenos e médios, cadastrados para o fornecimento de leite.

Central de cooperativas

Em Medianeira, Requião recebeu mais uma boa notícia do prefeito Elias Carrer. A Frimesa, uma central de cooperativas, decidiu construir sua sede definitiva na cidade do Oeste do Paraná. A empresa vai investir R$ 36 milhões na construção de sua sede que terá 11,5 mil metros quadrados.

Dessa forma, a Frimesa vai ampliar o abate de aves e suínos dos produtores cooperados da Lar, C. Vale, Copagril e Copacol. ?De imediato vamos gerar mais de 100 empregos diretos na construção da sede e outros mil diretos são esperados, assim que a unidade entrar em funcionamento. Os empregos indiretos serão bem maiores?, comemora o prefeito Elias Carrer.

Mais investimentos

Outras três cooperativas estão ampliando seus investimentos no Oeste. A C.Vale inaugurou em abril seu complexo avícola em Palotina e vai investir R$ 240 milhões na construção de uma nova fábrica de rações, uma desativadora de enzima de soja e uma indústria de cortes cozidos, fritos e assados de frango.

Segundo o presidente da cooperativa, Alfredo Lang, devem ser criados dois mil novos postos de trabalho até o final de 2006 em atividades ligadas à avicultura.

A Copacol (Cooperativa Agroindustrial Consolata) ampliou sua unidade em Formosa do Oeste. Valter Pitol, presidente da Cooperativa, diz que a ampliação faz parte de um projeto de reestruturação das unidades da Copacol, que se iniciou há três anos e que terá um investimento final de R$ 30 milhões.

A Copagril, de Marechal Cândido Rondon, também inaugurou seu complexo avícola no início do ano num investimento de R$ 40 milhões. O complexo é formado por um frigorífico, 350 aviários, fábrica de rações (instalada em Entre Rios do Oeste), matrizeiro e incubatório.

Os investimentos são de R$ 160 milhões até 2006 e vão gerar 1,5 mil empregos. O presidente da Copagril, Ricardo Chapla, diz que até o final de 2006, o frigorífico vai dobrar a produção dos iniciais 80 mil aves/dia.

Cerca de 80% dos produtores associados da cooperativa possuem pequenas lavouras e vão partir para a produção de aves. Para a construção dos 350 aviários, estão disponíveis financiamentos – através da linha de crédito Prodeagro – no valor de até R$ 150 mil para cada produtor.

Encontro em Foz

A importância do setor é tamanha que trouxe para Foz do Iguaçu a Ave Expo Américas 2005/Fórum Internacional de Avicultura ? evento que será realizado de 17 a 19 de agosto no Mabu Hotel.

Durante três dias, empresários, executivos, pesquisadores e fornecedores da América vão participar de seminários técnicos, painéis de mercado e uma feira de negócios exclusiva para a avicultura de carne e postura.