A Assembléia Legislativa abre dia 24 a concorrência para a segunda etapa do processo de informatização da Casa, que deverá custar cerca de R$ 1,3 milhão. O anúncio foi feito ontem pelo primeiro-secretário, deputado Nereu Moura (PMDB). Ele já encaminhou correspondência ao Banco Itaú, onde a Assembléia centraliza seus depósitos, solicitando a doação de 150 micro-computadores e 150 impressoras, o que poderá reduzir sensivelmente os custos da implantação dos equipamentos de hardware.

“É desejo da Mesa Executiva informatizar totalmente o processo legislativo, facultando, inclusive, a criação de programas como o Telecidadão, que abrirá à sociedade o acesso a informações sobre o funcionamento deste poder”, explicou Moura, acrescentando que os trabalhos devem ter início já em agosto. Nos projetos futuros da Mesa está a transmissão das sessões via internet.

Moura também falou sobre a construção de uma entrada única para o Complexo Legislativo Aníbal Khury, equipada com detector de metais, nos moldes de outras Assembléias e do Congresso Nacional, para identificação dos visitantes. Segundo ele, trata-se de uma medida de segurança hoje indispensável.

Indagado sobre uma eventual convocação extraordinária dos parlamentares para votar a intervenção no município de Nova Aurora, solicitada pelo Tribunal de Contas ao constatar, através de auditorias, desvios de mais de R$ 5 milhões atribuídos à gestão do prefeito Delmo Passoni (PP), disse tratar-se de mera especulação.