O candidato da coligação PSDB-PFL à Presidência, Geraldo Alckmin considerou hoje "gravíssimo" o pedido de demissão do ministro da Agricultura, Roberto Rodrigues, por evidenciar, de acordo com ele, o descompromisso do governo com a política agrícola e a busca de uma solução para a crise no setor. "A conseqüência disso é em cima do trabalhador e do emprego, porque muitos municípios vivem da agricultura. É o desmonte do setor produtivo", afirmou.

A fase difícil no setor agrícola, segundo Alckmin, não começou agora e resulta da "falta de resposta do governo pelo terceiro ano". "O governo não teve uma política agrícola e deixou chegar a este ponto. É o setor produtivo desestruturando-se, afetando a indústria, o comércio, a indústria de máquinas – e isso é gravíssimo", afirmou.

Conforme o candidato, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, em três anos e meio de gestão, não conseguiu resolver a questão do seguro de safra. Alckmin apontou ainda o câmbio como uma das dificuldades para o setor. "Os produtores plantaram na safra de 2003/2004 com o dólar no valor de R$ 3 e colheram a R$ 2,40. Depois, na outra safra, plantaram a R$ 2,40 e colheram a R$ 2 10", acrescentou.

Além disso, Alckmin ressaltou entraves como custos de produção, carga tributária e de infra-estrutura. "Imagine tirar soja de Mato Grosso e embarcar no Porto de Paranaguá (PR)", disse, ressaltando as questões sanitária de logística, a febre aftosa e a falta de política agrícola para assegurar o preço mínimo. "Então, tem uma crise muito grave envolvendo produtos como arroz feijão, milho, soja, trigo e carne", observou.