O candidato do PSDB à Presidência da República, Geraldo Alckmin, acusou partidários do PT de fazerem "apologia da mentira". Alckmin comentou as recentes declarações do governador eleito da Bahia, Jacques Wagner (PT), que afirmou que os petistas envolvidos no caso do dossiê podem estar mentindo, protegidos pelo "direito, concedido pela lei, de que o réu não é obrigado a dizer toda a verdade".

"O Brasil não gosta de mentira, nada se sustenta em cima da mentira", disse Alckmin. Para o tucano, "esta é uma visão atrasada, essa visão de poder como luta patrimonialista, esta visão de vamos tomar o poder. Para nós, o poder é um instrumento para trabalhar o serviço, para melhorar a vida da população".

Alckmin falou para uma platéia de aproximadamente 130 pessoas, formada por deputados federais e estaduais mineiros, e prefeitos de alguns municípios, no Palácio das Mangabeiras. Aos prefeitos, ele manifestou confiança de que poderá obter um bom resultado no Estado, e conclamou os políticos para continuarem o esforço de campanha.

Segundo o tucano, há um sentimento silencioso no Brasil de desconforto ético. "Já tivemos um ótimo resultado em Minas no primeiro turno, e podemos fazer um esforço para ganhar a eleição no Estado", disse. O candidato saiu do Palácio das Mangabeiras e visitou o Café Nice, um tradicional ponto de campanha no centro da capital mineira, e seguiu para o aeroporto da Pampulha Belo Horizonte, onde embarcou para Manaus.