O candidato da coligação PSDB e PFL, Geraldo Alckmin, prometeu a funcionários do Banco do Brasil, em Brasília, que não privatizará a instituição. Dizendo-se até constrangido por ter que desmentir um boato, Alckmin enfatizou que, em seu programa de governo, não há nenhuma menção à intenção de vender estatais como Banco do Brasil, Caixa Econômica Federal e Petrobras. "Meu programa de governo tem 216 páginas. Não há nenhuma linha tratando de privatização da Caixa, do BB ou da Petrobras", disse.

Para fortalecer a sua argumentação, Alckmin disse que sua gestão em São Paulo fortaleceu a Nossa Caixa, banco pertencente ao Estado de São Paulo. "São Paulo é um dos poucos estados que tem um banco estatal. Nós não privatizamos a Nossa Caixa, pelo contrário, nós a fortalecemos. Ela estava no redesconto do Banco Central e foi totalmente recuperada", disse o tucano.

Alckmin tentou associar o presidente Lula, candidato à reeleição à privatização de bancos. "O meu adversário é que privatizou. Ele vendeu o Banco do Estado de Maranhão e o Banco do Estado do Ceará", afirmou. O tucano assumiu o compromisso de profissionalizar a gestão das estatais, não permitindo o aparelhamento das empresas públicas.