O presidente da Câmara, Aldo Rebelo (PCdoB-SP), entrou no embate com o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, que fez na última terça-feira (17) críticas ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva e ao governo petista. Em entrevista na Câmara, Rebelo sugeriu aos "intelectuais tucanos" que tenham cuidado com o discurso que possa acirrar a divisão social no País. "A idéia de que os tucanos são portadores da modernidade e que os eleitores de Lula são os grotões, os burgos podres, os fanáticos do Bolsa-Família, isso é perigoso. Leva à divisão da sociedade", disse Rebelo, ressaltando temer que a luta política degenere em conflitos mais graves.

"Aqueles que se julgam portadores da modernidade, como os intelectuais tucanos, podem chegar a resultados desastrosos. Os que foram combater Canudos em nome da modernidade, achando que aqueles nordestinos do sertão da Bahia eram representantes da barbárie, do atraso, terminaram exterminando milhares de camponeses", afirmou Rebelo. "É preciso que os intelectuais tucanos, que se julgam portadores da modernidade contra o atraso que seriam os eleitores de Lula, tenham cuidado para não se comportarem da mesma forma que os modernizadores que combateram Canudos se comportaram e que terminaram, em vez de proteger a democracia e a república, protegendo o Barão de Jeremoabo. E o Brasil continua cheio de barões de Jeremoabo", completou, em uma referência a Cícero Dantas Martins, o Barão de Jeremoabo, considerado na época da Guerra de Canudos o maior latifundiário do Nordeste.