O vice-presidente da República e ministro da Defesa, José Alencar, disse hoje
que não ficaria surpreso em deixar o cargo de ministro na reforma que deverá ser
anunciada pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva na semana que vem. Alencar
lembrou, entretanto, que não há impedimento para continuar à frente do
ministério.

"Eu já disse que meu perfil é inadequado para a Defesa,
porque minha cultura é empresarial e eu não entendo desses assuntos. Eu tenho
tido a colaboração e a solidariedade dos comandantes das três Forças Armadas,
mas não tenho a pretensão de ser ministro da Defesa", afirmou Alencar. "Eu não
sou ministro, eu estou ministro", enfatizou.