"Este evento sinaliza que a alfabetização e a educação de jovens e adultos são efetivamente um projeto de sociedade do país. Não é mais um projeto de governo", afirma o secretário de Educação Continuada, Alfabetização e Diversidade do Ministério da Educação (MEC), Ricardo Henriques.

Ele assinou hoje convênio com a Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro (Firjan) e com o Serviço Social da Indústria (Sesi) para a continuidade do ensino fundamental até a 8ª série de dois mil alunos. Hoje cerca de 5 mil pessoas comemoram a festa formatura, que contou com a participação do presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

"Nós estamos demonstrando que é possível uma parceria que transcenda singularidades, vínculos regionais. Que nós consigamos em três anos e meio tirar a população do analfabetismo absoluto e colocá-la na 8ª série com conteúdo profissionalizante", afirmou Henriques. "O Rio de Janeiro sinaliza para o Brasil que o setor privado em parceria com o poder público pode garantir um outro projeto de inclusão social para o país."

Segundo Henriques, "a inovação do Ministério da Educação é não tratar a alfabetização como uma campanha que se esgota em si mesma", mas como um meio de garantia da continuidade dos estudos.

Os alunos que serão beneficiados pelo convênio ingressaram em 2004 no programa Sesi ? Por um Brasil Alfabetizado e depois vão para o programa TransFORMAR (de formação até a 4ª série e profissionalizante), criado pela Firjan em parceria com a Sesi/RJ ? ele existe em 16 estados. O Ministério da Educação vai disponibilizar, segundo o secretário, R$ 6 milhões para esse convênio.

Após assinar o convênio, Ricardo Henriques contou ainda que há a possibilidade de expansão para outros estados: "Esse exemplo deve se estender para outros estados".