Brasília – A partir do ano letivo de 2006, os 55 milhões de alunos da educação básica vão ganhar um cartão de identidade eletrônica. O Ministério da Educação deverá iniciar em breve o cadastramento desses estudantes, para emissão do documento.

De acordo com o presidente do Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira), Eliezer Pacheco, a identidade eletrônica vai permitir que todas as informações do Censo Escolar sejam mais atualizadas, o que facilita a adoção de medidas para melhorar a educação no País. "A identidade eletrônica vai permitir que o Censo Escolar, que hoje é feito com dados do ano letivo anterior, tenha informações atualizadas para que o governo federal adote políticas públicas mais adequadas, mais eficientes e precisas", afirmou.

O Censo Escolar, lembra o presidente do Inep, abrange toda a educação básica ? infantil, fundamental, média, especial, profissional e de jovens e adultos ? e oferece informações para o desenvolvimento de 11 programas, entre eles o da merenda escolar, o do transporte e o do livro didático.

Eliezer Pacheco informa ainda que a identidade eletrônica vai facilitar o controle da freqüência escolar do aluno, exigência de vários programas sociais do governo, como o Bolsa Família. "Os alunos do ensino fundamental das escolas públicas, depois de receber a identidade eletrônica, vão ter o Cartão do Estudante. Com esse cartão será possível obter o controle eletrônico da presença do aluno em sala de aula", garante o presidente do Inep.