O boletim Focus distribuído hoje pelo Banco Central revela que a calmaria tomou conta do mercado financeiro nos últimos dias e na última semana não houve registro significativo de mudança nas tendências dos principais indicadores da economia.

De acordo com a pesquisa semanal, realizada todas as sextas-feiras com uma centena de analistas de mercado, houve leve melhora na previsão de crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) — soma de todas as riquezas produzidas no país — que passa de 3,26% para 3,28% no ano e mantém estimativa de 3,50% para 2006.

O boletim Focus registra, também, que o saldo de conta corrente, que envolve todas as transações comerciais e financeiras com o exterior, deve aumentar de US$ 12,50 bilhões para US$ 12,90 bilhões neste ano, e de US$ 6,85 bilhões para US$ 7 bilhões no ano que vem.

A expectativa de superávit (saldo positivo) da balança comercial (exportações menos importações) foi mantida em US$ 40,50 bilhões neste ano, e melhorou de US$ 34,15 bilhões para US$ 34,25 bilhões a projeção de saldo em 2006.

O registro pessimista fica por conta da perspectiva de queda do crescimento da produção industrial: de 4,34% para 4,22% em relação à pesquisa anterior. Isso não mexe, porém, na projeção da relação dívida/PIB, que deve encerrar 2005 em 51,50% e 2006 em 50,50%.

De acordo com a pesquisa do BC o valor do dólar norte-americano em relação ao real cairá mais um pouco no fechamento do ano, de R$ 2,43 para R$ 2,40, e a taxa básica de juros também descerá para 18%. Os analistas calculam que a taxa, hoje de 19,50% ao ano, terá redução de meio ponto percentual por mês. Aumentaram, contudo, a projeção para o fim de 2006: de 15,75% para 16%.