São Paulo – O presidente nacional do PSDB, deputado federal José Aníbal (PSDB-SP), aproveitou o intervalo do debate entre os dois candidatos ao governo do Estado de São Paulo, José Genoino (PT) e Geraldo Alckmin (PSDB), para tecer críticas ao fato do presidenciável Luiz Inácio Lula da Silva (PT), por ter aceito apenas um debate contra o adversário de José Serra (PSDB).

“O debate está mostrando, até o momento, por que Lula não quer debater com Serra na tevê. O Genoino está demonstrando que não tem preparo e nem conteúdo e assim é o PT: um monte de comentários generalistas e confusões conceituais e terminológicas”, criticou. “Estou impressionado com o despreparo do Genoino”. De acordo com Aníbal, Alckmin está ratificando sua posição de preparo e conhecimento do Estado.

Durante o debate, porém, Aníbal chegou a enviar, por meio de assessores, um bilhete para Alckmin. “O governador informou que o Estado recebeu investimentos diretos de US$ 24 bilhões. Isso foi só nos 17 meses em que ele governa. De 1994 até abril de 2000, foram mais de US$ 100 bilhões, e teve muito mais no restante do período em que Covas permaneceu no governo, antes de sua morte. Eu só enviei o bilhete para ele se lembrar disso”, disse Aníbal.

O clima na platéia é de torcida dos dois lados e a cada momento em que um candidato se manifesta sobre um tema, a torcida oposta o ironiza e soltam vaia. Assim tem sido o tempo todo. Cada grupo também comemora quando o seu candidato ganha o direito de resposta.