A balança comercial brasileira registrou um superávit de US$ 1,588 bilhão em janeiro. O dado mostrou uma queda nas exportações e uma alta das importações na comparação com dezembro, tendência que, segundo estimativa de analistas, deve ser mantida ao longo do ano, levando o País a registrar um saldo menor em 2004.

O superávit da balança resultou de US$ 5,80 bilhões em exportações, contra US$ 4,212 bilhões em importações, informou o Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, ontem. A média diária de exportações foi de US$ 276,2 milhões e a de importações, de US$ 200,6 milhões.

O superávit do mês passado superou o número de janeiro de 2003, quando o saldo foi de US$ 1,155 bilhão, mas ficou abaixo do de dezembro, de US$ 2,759 bilhões. No último mês do ano passado, as exportações totalizaram US$ 6,748 bilhões e as importações somaram US$ 3,989 bilhões.

Uma sondagem do Banco Central mostrou que a expectativa do mercado para o superávit da balança em 2004 subiu ligeiramente de US$ 20,1 bilhões para US$ 20,4 bilhões. Ainda assim, o número está abaixo do saldo recorde de US$ 24,8 bilhões de 2003. A previsão de redução do superávit deve-se à recuperação econômica prevista para este ano, o que normalmente aumenta as importações do País.

Do lado das exportações, o governo e muitos analistas acreditam que elas continuarão fortes, devido à retomada econômica mundial e às investidas do Brasil em novos mercados, mas crescerão com intensidade bem menor do que a verificada em 2003 como reflexo do aumento da demanda interna.