A Agência Nacional do Petróleo (ANP) apontou, em seu último levantamento, que a adulteração da gasolina no Paraná chegou a 22% em março último. Em fevereiro, o índice era de 7,5%. Já no período de janeiro a março, o índice foi de 12,1%. A grande quantidade de amostras em inconformidade com a legislação – em março, das 692 amostras coletadas, 152 estavam em inconformidade – foi um dos motivos que o levou o Sindicato do Comércio Varejista de Combustíveis e Derivados do Petróleo do Paraná (Sindicombustíveis-PR) a lançar duas campanhas: uma, que pretende combater a adulteração e a sonegação de impostos no setor, e outra, que mostra através de banners a composição do preço da gasolina e do diesel. (Leia mais na edição de amanhã do jornal O Estado do Paraná)