Os reajustes promovidos pelos donos de postos de gasolina ficaram bem abaixo dos 4,5% de alta média prevista pela Petrobras para a gasolina e de 6,4% para o diesel. A previsão foi feita na última segunda-feira, quando a estatal anunciou um reajuste de 10,8% para a gasolina e de 10,6% para o diesel, que passou a vigorar a partir do primeiro minuto do dia 15 nas refinarias da estatal em todo o país.

Levantamento semanal feito pela Agência Nacional do Petróleo (ANP), junto a 12.520 postos de gasolina de todo o país, comprovou que o produto apresentava um preço médio de R$ 2,042, contra os R$ 2,005 praticados em média na semana anterior ao aumento. A alta, neste caso, ficou em cerca de 2%, com o preço mínimo nos postos em R$ 1,560 e o máximo em R$ 2,850.

No caso do diesel, o aumento médio foi de cerca de 2,5%, com o preço do produto em R$ 1,422, em média. O preço mínimo do diesel, era no final da semana passada, da ordem de R$ 1,188 e o máximo de R$ 1,990. Nesse caso, a pesquisa abrangeu 10.569 postos do comércio varejista em todo o país.