Corina Guilhermina da Silva, 77 anos, tia do presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva, teve a perna direita amputada, na sexta-feira, no hospital público Jesus Pequenino, em Bezerros, no agreste pernambucano. Corina ganhou uma cadeira de rodas da Rádio Bezerros FM, que realiza campanhas angariando ajuda à comunidade pobre.

Acompanhada da filha Maria José Silva Wanderley, Corina é irmã do pai de Lula, Aristides Inácio da Silva. Ela vive no Poço Rios no município de Caetés, onde nasceu o presidente, e havia peregrinado por unidades de saúde pública em Garanhuns e Caruaru – também no agreste – até chegar a Bezerros, onde foi operada pelo cirurgião vascular Artur Souza Leão. Diabética, estava com gangrena na perna direita que foi amputada acima do joelho.

A descoberta do parentesco de Corina com o presidente Lula ocorreu no sábado, diante da preocupação de Maria José com a falta de condição de dar à mãe uma cadeira de rodas ou uma perna mecânica. Única filha a cuidar da mãe, ela se perguntava o que fazer diante da amputação. O hospital enviou o pedido de cadeira de rodas à rádio local, que fez a doação.

Corina passa bem. De acordo com o médico, ela poderá receber alta amanhã. Segundo ele, a princípio Corina rejeitou terminantemente a amputação, no que foi seguida pela filha. Ela só se conformou com a idéia e aceitou a cirurgia ao ser informada de que esta era a única maneira de continuar viva. "Ela e a filha são tão simples que só soubemos que eram parentes do presidente no dia seguinte à cirurgia", contou o médico.

Para provar que têm o mesmo sangue de Lula, as mulheres mostraram ao repórter da Bezerros FM, no hospital, uma foto com o presidente tirada quando ele visitou Caetés na primeira eleição.