Aposentados e pensionistas ligados ao PT vieram na manhã de hoje à sede do Diretório Nacional do partido, na capital paulista, para manifestar seu apoio à legenda e ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Em reunião com o secretário de Mobilização Francisco Campos, o terceiro-vice-presidente Valter Pomar e o tesoureiro José Pimentel, os aposentados apresentaram um manifesto em que apóiam a apuração das denúncias de corrupção, mas atacam o que chamam de "tentativa de linchamento público" que estaria sendo conduzida pela oposição e por setores da mídia.

No documento, eles também defenderam que o PT é resultado de uma construção feita ao longo de muitos anos, que foi capaz de reunir mais de 800 mil filiados.

"O PT é uma construção coletiva e conta com 826 mil filiados em todos os Estados da federação e é resultado do sangue, do suor e das lágrimas de milhares de trabalhadores e trabalhadoras, do campo e da cidade, e não pode ser colocado na vala comum dos políticos de partidos que sempre estiveram contra as lutas dos trabalhadores", diz o documento. No final da reunião, os aposentados fizeram uma doação simbólica para ajudar o PT a enfrentar sua atual crise financeira. Foram arrecadados R$ 230,10.