O assessor jurídico da Câmara dos Deputados, Marcos Vasconcelos, levou, nesta sexta-feira, à Polícia Federal mais de 50 documentos do presidente da Câmara, deputado Severino Cavalcanti (PP-PE). Os despachos de Severino serão comparados ao documento divulgado pelo dono do restaurante Fiorella, Sebastião Buani. Vasconcelos adiantou que Severino dará uma entrevista coletiva no domingo para explicar as denúncias de corrupção que surgiram na última semana.

"Há de se ver se que aquele documento é real. Não posso dizer que a assinatura é falsa. Mas estranho esse documento ter aparecido já que não estava no processo", disse. O assessor apontou diferenças entre o documento de Buani e os demais despachos trazidos por ele, como a data datilografada, a falta de carimbo e a assinatura diferente. "A assinatura pode ser dele. Mas pode ter havido uma montagem. Eu acho que não é dele", afirmou o advogado.