Bombardeios aéreos e da artilharia israelenses mataram nesta sexta-feira (11) pelo menos 18 pessoas em diferentes partes do Líbano. Um comboio de refugiados liderado por dois blindados da ONU foi atacado ao deixar a cidade sulista de Marjayoun. Pelo menos 3 pessoas morreram e mais de 10 ficaram feridas.

O comboio, de mais de 100 veículos civis e outros transportando soldados e policiais libaneses da área ao redor de Marjayoun, foi alvejado perto da cidade de Chtaura, no lado oeste do Vale de Bekaa.

O porta-voz do primeiro-ministro israelense Ehud Olmert chegou a anunciar que uma grande ofensiva por terra havia começado no sul do Líbano, após expressar insatisfação com uma proposta de cessar-fogo sendo negociada na ONU. Mas depois, oficiais corrigiram que apenas os preparativos haviam começado.

No norte do Líbano, jatos israelenses destruíram uma importante ponte que levava à Síria e mataram ao menos 12 pessoas e feriram outras 18. Com esse ataque, Israel enviou indiretamente uma mensagem aos libaneses de que nenhuma área de seu país está a salvo dos ataques israelenses. O Hezbollah, no entanto, informou nesta sexta-feira a morte de apenas quatro de seus milicianos, mas não especificou nem quando ou onde eles morreram.

Israel também atacou Masnaa, no Vale do Bekaa, cerca de 50 quilômetros ao sudeste de Beirute, mas ainda não há informações de mortos ou feridos. Masnaa é a principal saída para a Síria e foi fechada após receber quatro ataques aéreos. Apenas uma saída do Líbano está acessível: a cidade costeira de Arida, no norte do país.

Jatos israelenses também atacaram três veículos próximos à cidade de Baalbek, no leste libanês, matando ao menos um e ferindo outros dois. Testemunhas disseram que os veículos foram atingidos diretamente e pegaram fogo. Não ficou claro se eram carros ou picapes – alvo freqüente de ataques israelenses.

Mísseis lançados de aviões não tripulados mataram um homem em uma moto em uma rodovia entre Sidon e Tyre, e outra pessoa em um carro em Jbaa, no sul do Líbano. Aviões de guerra também atacaram a vila de Harouf, ferindo sete, informaram oficiais israelenses. Mais tarde, grandes explosões foram ouvidas em Tiro mas ainda não se sabe de onde veio o estrondo ou se houve feridos.

Jatos atingiram, ainda, estradas e áreas residenciais próximas do cidade de Nabatiyeh, no sul da cidade, destruindo uma casa vazia. Não ficou claro se seu dono, Zaino Yassin, é ou não militante do Hezbollah. Dois mísseis danificaram uma mesquita numa vila nas proximidades de Kfar Jouz. Dez minutos após esse ataque, os jatos retornaram e atiraram outros dois mísseis próximos do quartel-general da defesa civil de Nabatiyeh.

Outros cinco ataques isolados com mísseis atingiram uma casa na vila de Kfar Sir, também nas proximidades de Nabatiyeh. Acredita-se que a casa estava vazia durante o ataque. Nenhuma morte foi confirmada em nenhum desses bombardeios.

Tropas israelenses entregaram às forças de paz das Nações Unidas três civis libaneses que foram presos há três dias, informaram oficiais libaneses. As forças da ONU, então, os transferiram para a polícia libanesa.