Distribuição de material educativo, orientações e testes com monoxímetro vão marcar nesta segunda-feira o Dia Nacional de Prevenção ao Tabagismo, 29 de agosto. As atividades serão concentradas na Boca Maldita, entre 9h e 17h, com a presença de profissionais das secretarias municipais da Saúde e de Recursos Humanos, além de universitários.

O tema da campanha deste ano é "O fumo faz mal até para quem não fuma". O foco da campanha é incentivar locais de trabalho, bares, restaurantes e outros lugares públicos a se tornarem ambientes livres de cigarro, evitando a poluição ambiental provocada pela fumaça do cigarro, o que acaba fazendo mal às pessoas que não fumam, os fumantes passivos.

O material a ser distribuído na Boca Maldita vai abordar também como o fumo pode trazer, além de doenças respiratórias, outros problemas de saúde – no coração e aparelho circulatório, por exemplo. No local, as pessoas poderão medir a concentração de monóxido de carbono no sangue e pulmão, através do monoxímetro, e fazer outros testes de capacidade respiratória.

Além dos testes e das orientações à população, quem passar pela Boca Maldita poderá ainda assistir à apresentação do coral infantil da Escola Municipal Lauro Esmanhoto, do Pilarzinho, formado por 25 crianças. No repertório do coral, músicas com temas que combatem o tabagismo. A apresentação está marcada para as 15h.

Conheça os riscos do cigarro

Estatísticas revelam que os fumantes apresentam um risco 10 vezes maior de adoecer de câncer do pulmão; cinco vezes maior de ter um infarto; cinco vezes maior de sofrer de bronquite crônica e enfisema pulmonar e duas vezes maior de sofrer um derrame cerebral.

Dados da Secretaria Municipal da Saúde mostram que, das 8.981 mortes ocorridas em Curitiba no ano 2000, 1.022 (11,4%) tiveram causas diretamente relacionadas ao tabagismo.

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), o tabaco é responsável por 90% das mortes por câncer de pulmão; 25% por infarto do miocárdio; 25% por doenças cerebrovasculares (derrames) e 85% por bronquite e enfisema.

No caso das mulheres que fumam, os problemas podem ser ainda mais graves. O cigarro associado ao uso de anticoncepcionais aumenta em 10 vezes os riscos de infarto e derrame cerebral.

Grávidas fumantes aumentam os riscos de ter um aborto espontâneo em 70%; de perder o filho perto ou depois do parto em 30%; de a criança nascer prematura em 40% e de ter um bebê com baixo peso em 200%.

Saiba mais

A fumaça do cigarro contém 4.720 substâncias tóxicas que prejudicam a saúde. Além das conhecidas, como nicotina, alcatrão e monóxido de carbono, há também substâncias radioativas, como polônio 210 e cádmio, usado em baterias de carros.

Após 20 minutos sem fumar, a pressão sanguínea e a pulsação voltam ao normal; após duas horas, não há mais nicotina no sangue; após 8 horas, o nível de oxigênio no sangue se normaliza; depois de 12 a 24 horas, os pulmões já funcionam melhor.

Depois de dois dias sem cigarro, melhoram o olfato e o paladar; depois de três semanas, melhoram a respiração e a circulação; após um ano, o risco de morte por infarto do miocárdio cai pela metade.