Foto: Walter Alves
Jogadores do Atlético comemoram
o primeiro gol contra o Corinthians.

O Atlético vai provando, rodada a rodada, o porquê de ser um dos times favoritos ao título do Cameponato Brasileiro. Nessa fria tarde de domingo, o Furacão atropelou o Corinthians por 3 a 1 e permanece na liderança da competição, ao lado do Santos, que também venceu hoje, com 55 pontos ganhos.

Um pouco mais em baixo na tabela, o Coritiba não foi competente o suficiente para passar pela frágil equipe do Atlético-MG e, mesmo saindo na frente a menos de um minuto de jogo, perdeu de virada para os donos da casa pelo placar de 2 a 1. A derrota custou ao Coxa uma posição na tabela, caindo da décima para o 11ª colocação.

Furacão na liderança

Nem mesmo o frio foi capaz de parar o Atlético, hoje à tarde, em Curitiba. Com um público recorde de 20.479 torcedores, o rubro-negro encarou um Corinthians em ascenção no campeonato. O jogo começou a mil para o time da casa. Logo a 20 segundos de jogo, o Atlético já chegou com perigo com Washington, que acabou perdendo o domínio da bola na hora do arremate.

Após o susto inicial, o Corinthians equilibrou mais o jogo e chegou algumas vezes com perigo na área do rubro-negro. O Atlético fez uma pressão infernal no final do primeiro tempo, mas o gol não saía.

Se no primeiro tempo tivemos um jogo um tanto quanto morno, no segundo a coisa foi bem diferente. Decidido a vencer a partida e manter a ponta do campeonato, o Atlético foi partindo para cima do Corinthians. A “blitz” deu certo e aos 10 minutos o rubro-negro abriu o placar. Dagoberto levantou a bola na área e o zagueiro Valdson, do alvinegro paulista, jogou contra o patrimônio, fazendo gol contra.  

A alegria atleticana não durou muito. Aos 13 minutos, a zaga atleticana cochilou, Diego não saiu do gol e Renato subiu sozinho para empatar. O gol não abalou o time do Atlético, que, empurrado pela torcida, partiu pra cima do adversário.

Aos 24 minutos o Atlético ampliou o placar. Numa cobrança de falta perfeita, Jadson jogou a bola na gaveta de Fábio Costa, que nem se mexeu. A partir daí, o rubro-negro tratou de administrar o jogo, enquanto o Timão tentava desesperadamente fazer o gol de empate. Entretanto, faltava (muita) qualidade ao ataque paulista, que pouco incomodou Diego.

Já nos acréscimos, o Atlético ainda marcou o terceiro gol com Washington, cobrando pênalti com muita categoria, dando números finais à partida.

“Pão de queijo indigesto”

Parecia que o Coritiba iria ganhar o jogo com facilidade. Parecia que iria golear o Atlétic-MG com tranquilidade. Todavia, ficou apenas no “parece”. O Coritiba perdeu para o time do Galo, que rondava a zona de rebaixamento e estava há oito rodadas sem vencer, e deixa em Belo Horizonte três precioso pontos importantes e a nona colocação do Brasileiro.

O Verdão começou a mil por hora. Aos 46 segundos de jogo, Reginaldo Vital recuperou a bola no meio-campo e deu um passe açucarado para Capixaba, de fora da área, abrir o placar com um golaço. Mas, misteriosamente, o time do Coxa, que em vez de atacar mais o adversário, que não vem bem no campeonato, recuou o jogo e começou a ser pressionado pelos donos da casa.

Não demorou muito e saiu o empate do Galo, que veio numa bola parada. Rodrigo Fabri cobrou bem a falta, colocando a “gorduchinha” na “gaveta” de Fernando, que poderia ter ido na bola, mas arriscou um golpe de vista. O gol atordoou o Coxa e elevou o ânimo dos mineiros. Quatro minutos depois, o árbitro assinalou um pênalti em cima de Rodrigo Fabri. Ele mesmo cobrou e, em pouquíssimmo tempo, virou o placar pra cima do time paranaense.

Satisfeito com o resultado, o Galo tratou de segurar e cadenciar mais o jogo, enquanto o Coxa, de forma desordenada, subia ao ataque, mas sem grandes sustos a Danrlei.  

Para a segunda etapa, o técnico Antonio Lopes sacou Ricardo, que pouco apresentou, e colocou Adriano em seu lugar. A alteração trouxe um novo gás ao Coxa. Pena que o panorama do jogo não mudou. Os dois time apresentaram um futebol paupérrimo, dando sono em quem assistia. Os únicos momentos de emoção foram numa cabeçada de Tuta para fora e num chute de Marcinho por sobre a trave de Fernando.

O Coxa agora volta suas atenções para o jogo contra o Palmeiras, na quarta-feira, no Couto Pereira.